A Era Cristã.

A Era Cristã


Em 525 A.D., um monge, chamado Dionísio Exíguo (ou, o Pequeno), propôs que todos os eventos fossem datados a partir do nascimento de Jesus, que ele fixou no ano 753 da fundação de Roma. A Era Cristã de Dionísio foi sendo adotada desde o século 6, mas só foi admitida pela Cúria Romana a partir do século 10.

Para os anos a partir do nascimento de Cristo, a contagem é feita em ordem crescente; para os anteriores a esse acontecimento, em ordem decrescente. Não há um ano zero. Portanto, o dia 31 de dezembro de 1 A.C. é seguido pelo dia primeiro de janeiro do ano 1 A.D. (Anno Domini, ou seja, ano do Senhor). Seguindo essa lógica, o ano 1 A.D. é o primeiro ano do século 1 e o ano 100 A.D., o último. Por conseguinte, o ano 2000 A.D. é o último do século 20 e também do terceiro milênio. Assim sendo, o novo milênio só começou de fato em primeiro de janeiro de 2001 A.D.

A inexistência do zero entre 1 A.C. e 1 A.D. altera em um ano o cálculo de períodos que se iniciam antes de Cristo e que findam durante a Era Cristã. Por exemplo, se houvesse o ano zero, as 69 semanas proféticas (ou 483 dias-anos) terminariam em 26 A.D.; todavia, como tal não existe, a contagem se estende por mais um ano, findando em 27 A.D. A compreensão desse pormenor é de grande relevância para o cômputo dos períodos proféticos. Uma discussão mais ampla sobre o assunto pode ser encontrada no apêndice ao estudo 2.


Página 8
Primeira Página Página Anterior Selecionar página :  Próxima Página Última Página
 Link Quebrado   Imprimir   Topo