"Fui moço, e já, agora, sou velho, porém jamais vi o justo desamparado, nem a sua descendência a mendigar o pão." Salmo 37:25.

1.7 - UMA BESTA QUE EMERGE DA TERRA.

1.7.1 - PREVISTO O SURGIMENTO DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA.

       Apocalipse 13 não fala apenas da besta de número 666; fala também de um outro poder caracterizado como subindo da terra. Esse poder se levanta para auxiliar o primeiro e sua atuação também é motivada pelo dragão. Nos estudos anteriores, estudamos principalmente sobre o passado; neste, vamos analisar o que a profecia revela sobre o que nos aguarda. Volvamos nossos olhos para o texto bíblico e peçamos a Deus que nos auxilie no seu entendimento.

       "Então a serpente arrojou da sua boca, atrás da mulher, água como um rio, a fim de fazer com que ela fosse arrebatada pelo rio. A terra, porém, socorreu a mulher; e a terra abriu a boca e engoliu o rio que o dragão tinha arrojado de sua boca." Apocalipse 12:15 e 16. "Vi ainda outra besta emergir da terra; possuía dois chifres, parecendo cordeiro, mas falava como dragão." Apocalipse 13:11. A terra, que anteriormente havia prestado socorro à mulher, agora é a geradora de um novo poder perseguidor. O mar é empregado em Daniel 7:2 e Apocalipse 13:1 como um símbolo do velho mundo. Apocalipse 17:15 diz: "Falou-me ainda: As águas que viste, onde a meretriz está assentada, são povos, multidões, nações e línguas." Diz-se que o mar representa o velho mundo euro-asiático, pois dele é visto emergir quatro grandes animais, figuras de quatro grandes impérios que dominaram vasta região daquele imenso continente (Daniel 7:3). A terra, estando em antítese à água, deve representar o novo mundo, que em comparação com a Europa e a Ásia, era incipientemente povoado. Outrossim, a terra aparece socorrendo a mulher (a Igreja), símbolo provável do novo mundo como terra de refúgio para os perseguidos pela intolerância religiosa.

       A menção ao aparecimento dessa fera é feita após a referência ao cativeiro papal em 1.798 A.D., o que nos faz supor que a nação ali representada surgiria perto daquele ano. Os elementos do cordeiro e do dragão, parecem indicar uma ambigüidade nesse novo poder. É profundamente ligado às coisas religiosas e defensor da liberdade, mas ao mesmo tempo fala como o dragão, figura da intolerância e da opressão. É como se aparentasse verdadeiro cristianismo, pois o cordeiro é uma alusão a Jesus, mas fosse em verdade um lacaio do dragão, Satanás. Todas as características apontam insofismavelmente para uma única nação da terra: os Estados Unidos da América. Surgiram num continente de povoação incipiente, através da vinda de fugitivos da opressão do velho mundo e ganharam sua independência em 1.776 A.D., perto do tempo em que a França tirou seu apoio ao Catolicismo e o Papa foi levado em cativeiro. Os dois chifres que foram vistos sobre a cabeça dessa fera não são noutro lugar identificados com reis, como é feito em relação aos chifres do dragão e da besta. Visto serem os chifres símbolo de poder na Bíblia (Apocalipse 5:6), eles têm sido identificados como os dois princípios que são os baluartes dos Estados Unidos: liberdade civil e liberdade religiosa.

 

1.7.2 - A UNIÃO DOS EUA COM A PRIMEIRA BESTA.

       "Exerce toda a autoridade da primeira besta na sua presença. Faz com que a terra e os seus habitantes adorem a primeira besta, cuja ferida mortal fora curada." Apocalipse 13:12. A profecia prevê que os Estados Unidos, por meio de alguma medida, farão com que as pessoas prestem homenagem ao poder representado pela primeira besta. Isso se dará quando a ferida mortal for plenamente curada (Apocalipse 13:3 e 4).

       "Também opera grandes sinais, de maneira que até fogo do céu faz descer à terra, diante dos homens." Apocalipse 13:13. Você já notou que o surgimento dos modernos movimentos de cura estão intimamente ligados aos Estados Unidos da América? A referência é a todos os movimentos que mexem com o sobrenatural, como o Espiritismo, o Pentecostalismo e a Renovação Carismática. Estaria a atividade desses professos despertamentos religiosos vinculados à crise vindoura? Continuemos em nossa análise da profecia e tire por si mesmo suas conclusões. Ver Apocalipse 16:13 e 14.

       "Seduz os que habitam sobre a terra por causa dos sinais que lhe foi dado executar diante da besta, dizendo aos que habitam sobre a terra que façam uma imagem à besta, àquela que, ferida à espada, sobreviveu, e lhe foi dado comunicar fôlego à imagem da besta, para que não só a imagem falasse, como ainda fizesse morrer quantos não adorassem a imagem da besta." Apocalipse 13:14 e 15. Um outro símbolo é introduzido aqui: a imagem da besta. Que seria ela? Imagem é uma cópia. Portanto, o oráculo está dizendo que será estruturada uma cópia daquela besta que surgiu do mar. Assim, se quisermos entender a simbologia da imagem da besta, seria extremamente importante avaliarmos como se deu o aparecimento da primeira besta.

FATORES DO APARECIMENTO DA 1a BESTA
1) O surgimento do poder representado pela besta que emergiu do mar ocorreu devido ao declínio religioso que se verificou no seio do Cristianismo. Para conquistar maior número de adeptos e maior popularidade, os líderes religiosos permitiram que a Igreja se conformasse com o mundo, pela introdução de costumes e elementos pagãos. Assim, a Igreja perdeu sua elevada condição moral e sua influência sobre a consciência dos indivíduos declinou.
2) Para suprir a falta dessa anterior influência, a Igreja buscou o auxílio do braço civil: primeiramente do Império Romano, depois dos reinos bárbaros, principalmente da França. Com a união de Estado e religião, surgiu o poderio bestial. Em relação ao texto em consideração, pode-se dizer que a profecia esteja alertando sobre uma possível repetição da História.

     

       Com a decadência moral nos Estados Unidos, é bem possível que se tente excitar um despertamento religioso pela força de lei. A grande diferença é que no passado foi o Catolicismo quem empregou esse método; agora será o protestantismo.

 

1.7.3 - A MARCA DA BESTA.     

       "A todos, os pequenos e os grandes, os ricos e os pobres, os livres e os escravos, faz que lhes seja dada certa marca sobre a mão direita, ou sobre a fronte, para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tem a marca, o nome da besta, ou o número do seu nome." Apocalipse 13:16 e 17. O que é a marca da besta? Muita especulação tem girado em torno desse assunto. "É o código de barra", advertem alguns. "Não. Ainda ninguém a recebeu, mas todos a receberão em breve através de laizer", explicam outros. Para outros ainda, nada disso é real; consideram esse assunto uma perda de tempo. Mas, o que dizem as Escritura? Há alguma informação segura? O Apocalipse trabalha abundantemente com antíteses, isto é, com idéias que se contrapõem. Já usamos esse recurso neste mesmo estudo. Para entendermos a simbologia de terra, partimos do significado de águas. O mesmo ocorre em relação à marca da besta; a fim de descobrirmos de que se trata, seria de inestimável auxílio investigarmos alguma coisa acerca do selo de Deus. Vejamos o que diz Apocalipse 7:1-3: "Depois disto vi quatro anjos em pé nos quatro cantos da terra, conservando seguros os quatro ventos da terra, para que nenhum vento soprasse sobre a terra, nem sobre o mar, nem sobre árvore alguma. Vi outro anjo que subia do nascente do Sol, tendo o selo do Deus vivo, e clamou em grande voz aos quatro anjos, àqueles aos quais fora dado fazer dano à terra e ao mar, dizendo: Não danifiqueis nem a terra, nem o mar, nem as árvores, até selarmos em suas frontes os servos do nosso Deus.". Ventos representam guerras. Em Jeremias 51:1 lemos o seguinte: "Assim diz o Senhor: Eis que levantarei um vento destruidor contra Babilônia e contra os que habitam em Leme-Camai.". Quatro anjos em pé nos quatro cantos da terra retendo os quatro ventos da terra parecem indicar a mão divina retendo uma guerra terrível e devastadora que está para vir sobre o mundo inteiro pouco antes da volta de Jesus; essa batalha é chamada no Apocalipse de Armagedom (Apocalipse 16:16). Antes que estoure essa guerra, Deus pretende selar cada um de Seus servos fiéis e obedientes. Mas, em que consiste esse selo? Se sua Bíblia tiver referência de rodapé, talvez aponte nesse caso para Ezequiel 9; ali também é encontrada uma cena se assinalamento, vejamos: "E lhe disse: Passa pelo meio da cidade, pelo meio de Jerusalém, e marca com um sinal a testa dos homens que suspiram e gemem por causa de todas as abominações que se cometem no meio dela. Aos outros disse, ouvindo eu: Passai pela cidade após ele; e, sem que os vossos olhos poupem e sem que vos compadeçais, matai; matai a velhos, a moços e a virgens, a crianças e a mulheres, até exterminá-los; mas a todo homem que tiver o sinal não vos chegueis; começai pelo Meu santuário." E o próprio livro de Ezequiel explica de que sinal se está falando: "Também lhes dei os Meus sábados para servirem de sinal entre Mim e eles, para que soubessem que Eu sou o Senhor que os santifica." "Santificai os Meus sábados, pois servirão de sinal entre Mim e vós, para saibais que Eu sou o Senhor vosso Deus." Ezequiel 20:12 e 20. O Sábado é o sinal especial de Deus; é o selo de Deus. Na Antigüidade, para que uma lei entrasse em vigor, deveria ser selada com o sinete real. Ver Ester 3:12; 8:8 e 10; Daniel 6:8 e 9. Esse selo devia constar de três características básicas:

 

CARACTERÍSTICAS DE UM SELO
1º) Nome da autoridade que está outorgando a lei. Ex.: Ciro.
2º) Função dessa autoridade. Ex.: Rei.
3º) Jurisdição, isto é, território sobre o qual essa autoridade domina. Ex.: Pérsia. Assim também com respeito à Lei de Deus e ao Seu selo.

    

       O sinal divino precisa conter essas três características e deve ser encontrado na Lei dos Dez Mandamentos. Se você inspecionar, o único dos santos preceitos que traz esses três pontos é o que estabelece a santidade do Sábado. Observe: "Lembra-te do dia de Sábado, para o santificar. Seis dias trabalharás, e farás toda a tua obra. Mas o sétimo dia é o Sábado do Senhor teu Deus (nome = Senhor ou Jeová); não farás nenhum trabalho, nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o forasteiro das tuas portas para dentro; porque em seis dias fez (função = Criador) os céus e a terra, o mar e tudo o que neles há (jurisdição = céus, terra, mar e tudo o que neles existe), e ao sétimo dia descansou; por isso o Senhor abençoou o dia de Sábado, e o santificou." Êxodo 20:8-11. Então já está claro: o selo de Deus é o santo Sábado. E quanto à marca da besta? É aquilo que se tentou colocar em substituição ao verdadeiro dia de Deus, a saber, a guarda do Domingo. Para maiores informações sobre como se processou a tentativa humana de se alterar o dia de descanso, aconselhamos a leitura do terceiro estudo desta série. A marca da besta será imposta às pessoas, o que nos leva a crer que nenhum atual observador do Domingo já a possua. Muito em breve, como resultado de um aparente despertamento espiritual na América, grupos religiosos tentarão obter o apoio do governo para impor prescrições religiosas. Dentre essas imposições estará a guarda do Domingo; e todo aquele que não quiser se submeter a essa obrigação estará sujeito ao boicote econômico e até mesmo à morte. Ver Apocalipse 13:15. Não se trata de sensacionalismo! O espetacular cumprimento das profecias no que tange a fatos já verificados nos dá a garantia de que esta predição também há de se concretizar. Aqueles que aceitarem o Domingo, como dia de guarda, receberão, simbolicamente falando, a marca na fronte (mente); aqueles que guardarem esse dia só para não sofrerem provações, a receberão na mão (trabalho). Mas nós não precisamos receber esse sinal nem de um jeito nem de outro. Queremos ser assinalados com o selo de Deus. Hoje é o tempo de se colocar ao lado do Salvador. Por que não aceitá-Lo sem reservas e procurar seguir Sua vontade? É verdade que remar contra a maré, guardando um dia enquanto a maioria guarda outro ou não guarda nenhum, pode parecer difícil, mas Deus nunca desamparará os Seus filhos. Suas são as promessas: "Fui moço, e já, agora, sou velho, porém jamais vi o justo desamparado, nem a sua descendência a mendigar o pão." Salmos 37:25. "Buscai, pois, em primeiro lugar, o Seu reino e a Sua justiça, e todas estas coisa vos serão acrescentadas." Mateus 6:33. Que você possa tomar a sua decisão agora mesmo e que Deus o abençoe! Amém!


JOVENS ADVENTISTAS DO 7º DIA.

CULTOS : SÁBADO 09:00 - QUARTA-FEIRA 19:30 - DOMINGO 19:30.